Voltar

Quantas vezes viste nascer o dia

img

No âmbito do projeto de voluntariado “Minha rua. Minha vida” surge o primeiro testemunho da Sra. Emília Maria, sobre a chegada a Almada.

Quantas vezes viste nascer o dia?

Era com esta pergunta que a Emília semanalmente iniciava as nossas conversas. Emília nasceu em Ourique, uma vila alentejana pertencente ao distrito de Beja. Filha mais nova de um casal de agricultores e produtores de animais, todos tinham um afazer no trabalho de campo. Diz-nos a Emília que o trabalho era mais do que muito e que nunca houve tempo ou cabeça para ter frio ou pensar em escola. Diz-nos também, por isso, que viu nascer o dia vezes de mais. Esta é a sua memória mais antiga e também a mais presente. Neste momento fazia uma breve pausa, de um dia de trabalho que já ia longo. Aqui pensava em tudo – sonhos, outra vida para além de Ourique, o fim da pesada ditadura salazarista – ou em quase nada.

                   

Vida e trabalho pesado, cuidado com os «bufos» e viver às escondidas. É desta forma que Emília descreve a vida «da sua altura». Recorda com orgulho e ainda algum medo à mistura, as reuniões antissistema, que o seu pai organizava secretamente em casa, juntamente com outros homens e mulheres que pouco entendiam de política, mas que muito percebiam de valores, de direitos dos trabalhadores.

 

Quantas vezes viste nascer o dia? - insiste a Emília.

Foram poucas as vezes, tão raras que me fogem da memória, digo-lhe eu. Pergunta-me várias vezes de onde venho. Respondo-lhe que nasci em Lisboa e sempre vivi por estes lados. Emília remata que o dia quando nasce é para todos, mas não há nascer de dia como no Alentejo.

O sorriso rasgado e os olhos brilhantes revelam a incrível viagem que mentalmente está a fazer até aquele especial lugar na vila de Ourique, até às suas memórias de infância e jovem adulta até aos 20 anos, altura em que veio para Almada, rumo ao «sonho urbano».

 

Sara Barreto / Teresa Rodrigues

Técnicas de projeto

(RE)age em Rede – CLDS 4G

Igreja da Misericórdia (horário)

A igreja está aberta ao público todas as segundas, quartas e sextas-feiras, das 15h00 às 17h00. Celebrações religiosas, todos os domingos às 17h00 Visitas guiadas todos os últimos sábados do...

Complexo “A Casinha” - Recrutamento de amas para o serviço de Creche Familiar da SCMA

A “Creche familiar” da “Santa Casa da Misericórdia de Almada”, sedeada no complexo social “A Casinha”, presta cuidados à primeira infância...

Atualização! Plano de contingência - Covid-19

Informação atualizada, aos tabalhadores, utentes e familiares sobre as medidas preventivas constantes no Plano de contingência que apresentamos em...

Convocatória Assembleia Geral Ordinária

Informam-se os Irmãos da Santa Casa da Misericórdia de Almada, que irá realizar-se no próximo dia 29 de novembro, entre as 17h00 e as 20h00, a reunião de Assembleia Geral...

Espaço Santa Casa

Estamos na nova loja na Avenida Professor Egas Moniz nº 2D, 2800-067 Almada. Horário de funcionamento: De 2.ª-feira a 6.ª feira: 10h00 às...

Abra as Portas à sua Ideia de Negócio!

Se procura um Espaço para criar o seu emprego…Candidate-se ao projeto Atividades Económicas Autónomas …e Abra as Portas à sua Ideia de Negócio!